.

.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Meu primeiro livro__________Julho 1999


A capa é um desenho a carvão feito pela minha filha. Ofereceu-mo para este efeito.
.
(para ler clique em cada imagem)


Não lhe chamarei prefácio porque os dois resolvemos na altura que não se chamaria assim. São as palavras, realistas, de Saramago a propósito dos poemas deste livro e da minha posição como poeta.
.



Palavras minhas num quase poema inspirado nas palavras de Manuel Alegre.
.



... sobre o meu estar em e no meu silêncio.
.



Manifestamente a nu, os meus sentidos neste livro.
Assim me entendo na vida de todos os dias, na partilha, nos afectos. Inteira!..
.

(Este é um livro não referenciado. Pois seja, mas isso é tão relativo... e nem sequer entendo como limitativo.)

125 comentários:

antonior disse...

"São do seu primeiro livro, datado de 1999, de que gosto especialmente. Tem uma alma singela que dá mais força à intensidade que nele vive."

A propósito desse livro, escrevi as palavras que estão acima, no texto que acompanha um retrato a pastel que te fiz e que se encontram num "post" no meu blogue.

É assim que o vejo, o leio e o sinto. Não vou sustentar esta realidade com argumentos de expressão comum, porque a subjectividade de questões desta natureza tem alicerces em valores que não se expressam senão nos terrenos imateriais da alma e das suas sensibilidades.

Diz-se com alguma (muita) razão que apenas se ama o que se conhece e que se pode amar muito, apenas o que se conhece bem. De uma coisa depende a outra, numa razão quase directa. Quanto mais descobres e percebes acerca de algo ou alguém mais laços vais criando. Claro que isto também funciona ao contrário mas, por ora, deixemos as questões dos ódios e desamores para que fiquem nos espaços externos sem contaminar a paz tão necessária à vida.

Quando referes o facto de o teu livro não ser referenciado pela crítica, não ser reconhecido no panorama literário e na importância subjectiva desse facto, penso que não andarás longe dos pensamentos que manifestei acima.

Penso ainda que há uma delicadeza a salvaguardar na observação e atenção que se dá a um objecto criativo desta natureza. Um dos valores fundamentais que o veste é a genuinidade da sua expressão e a transparência com que a sua "alma" se vê. Claro que em termos técnicos, que neste caso serão de natureza literária, não faria grande sentido colocar um trabalho inicial, ainda que pleno de sensibilidade, a competir no mercado dos livros com as obras de profissionais com décadas de trabalho, dezenas de livros escritos e, na maioria dos casos, com uma evolução feita, por desígnio dos editores, no sentido dos interesses e sensibilidades do mercado. Questões de marketing, a que tu, felizmente, eras completamente alheia na altura e desejo que assim continues.

Para além de mais trabalho que já fizeste, interessa o que está por fazer. Por esse aguardo, com a mesma força de sentir e o natural depuramento formal que já possuis e se vê no que vais escrevendo.

Um beijo deste teu leitor dos livros e da vida

Raskólhnikov disse...

que lindo, Maria, que lindo!
essas palavras e rimas podem chegar ao outro lado do atlântico?

minhas considerações amáveis a vc e ao Antônio.

Berro d'Água disse...

Olá Maria!

Não temos no Brasil o hábito de ter a poesia na nossa leiturada normal, cotidiana, salvo alguns raros casos, mas sabemos que a poesia faz parte da vida dos portugueses e estranhamente muitos são os poetas em Portugal. E eu sempre fiquei em dúvida e nunca consegui saber se esse talento brota naturalmente ou se ele acaba surgindo por indução, mas o fato é que desse lado do Atlântico, percebemos que há muitos poetas acontecendo do lado de lá.
Eu gostei muito do modo como os textos estão descritos e me soa algo que flui dentro de uma sensibilidade sem que tenha de seguir regras impostas, mas derivadas apenas de um momento, de uma condição. Gostei bastante do que pude ler.

Beijo, parabéns e sucesso!!!
Cris

VT disse...

Uma palavra apenas mas muito sentida com todo o significado que transporta:
PARABÉNS!
VT

Andradarte disse...

Parabéns....é outra arte que
admiro, mas infelizmente não domino.
A filha também está de parabéns,
bonito trabalho.Família de artistas.
Beijo

Liliana disse...

Como vê, não estava enganada quando disse reconhecer em si uma verdadeira alma de poetisa...

Belo trabalho! Quanto às referências na crítica literária... hão-de surgir. Lembre-se que este é um país de "velhos do Restelo", que se recusa a ver o que de positivo, grande e belo existe. Não se deixe entristecer por isso, não vale a pena.

Os meus parabéns e os meus votos para que essa alma de poesia não deixe de brotar beleza criativa.

Beijinhos

manuel marques disse...

Genial,parabéns,sucesso querida amiga.
beijo.

Ana Oliveira disse...

Maria

Parabéns e pouco mais, que me falta o génio e o verbo para louvores.
Parece-me em todos os aspectos um livro a merecer respeito... quando nos pomos a nu e deixamos fluir os sentimentos através das palavras, falamos sempre de nós e chegamos, sempre à sensibilidade dos outros.

Mais uma vez parabéns.

Até ao próximo.

Um beijo

Ana

Paula Raposo disse...

Belo!! O meu 1º livro foi em prosa, 2001, Minerva. A seguir foi e é, só poesia...parabéns!! Milhões de beijos, Maria.

Graça Pereira disse...

Maria
Parabens por este "Primeiro Livro".Parabens pela frontalidade e pela nudez de sentimentos. Parabens por te entregares toda inteira aqui neste blog. Só assim eu entendo a Amizade. Vivi-a sempre nos mesmos moldes.Esquece as nuvens e apanha o sol. Ser referenciado pela critica é sinónimo de qualidade?
A primeira critica, és tu própria que acolhes o teu livro como um filho. O resto...qual resto?
Um beijo Graça

Canto da Carlota disse...

Oh Maria linda essa tua "Nudez de Sentimentos"...
Nudez igual à minha...que perante a VIda é assim que me sinto todos os dias da minha Vida...Nua,transparente... se estou Feliz todos o Vêem, se estou triste...nem será preciso falar...

Bem hajas mais uma vez fiquei comovida!!!

Parabéns!!

Je Vois la Vie en Vert disse...

Muitos parabéns, Maria Besuga !

Toda a vossa família tem a arte nas maõs e no coração !

Beijinhos

Verdinha

Canduxa disse...

A capa do livro é linda.
Advinham-se poemas maravilhosos.
Quando nos pomos a nu sai o melhor da nossa alma.
Parabéns!
Um abraço

A Senhora disse...

Gostei de me enxergar no seu silêncio. :)
Assim como gostei de ver que, mais do que simplesmente desenhar linhas com palavras, arranca de si aquilo que também é do outro, tornando-se espelho.

bjs

wallper.lima disse...

A poesia é a fala que vem direta da alma, e sai de forma doce, suave, e pura por ser tão verdadeira!Parabéns pelo livro!
Bjocas.
Waleria Lima.

© Piedade Araújo Sol disse...

parabéns a esta família de artistas.

o meu primeiro livro foi em 2005 em prosa, o segundo em 2006 em poesia.

participaçoes em colectaneas, revistas, jornais já nem sei enumerar, mas é sempre gratificante para nós.

deixo um beij

JOSÉ RIBEIRO MARTO disse...

Parabéns Poeta , muitos ....
Que um livro seja mais um mundo que se dá neste ...
Fico à espera de encontrá-lo com curiosidade e carinho !
Abraço
_________ JRMARTO

Sangue é vida que se Dá disse...

Como esta trancado,vou escrever ,mas tu retiras ou nao o que achares interessante publicar, e a vontade para nao publicares nada se for esse o teu desejo .

A coragem,faz parte da Nudez de qualquer ser , desnudada por fora, mas recheada por dentro dos mais puros sentimentos ,colocas-te em nossas mãos essa obra, que para alem de ser imtimamente tua ,tu nos ofereceste como premio do teu primeiro trabalho publico de poesia,obrigado, continua a melhorar a qualidade como tens feito,e brinda-nos com mais ,pois tens capacidaes para tal.beijinho

mariabesuga disse...

ANTONIOR

Afirmaste tu no teu post, que somos, eu e o livro porque nele me assumo, alma singela que dá mais força à intensidade que nele vive…
São singelas também as tuas palavras de apreciação a este meu trabalho. Porque do amor com que aprendeste a conhecer-me e no que escrevo retratada se constrói a tua “avaliação”.

Sabes que não me preocupa o facto de não serem referenciados este e mais quaisquer trabalhos meus. Só o assumi aqui para que quem está do outro lado e não me conhece não criasse expectativas demasiado altas.
De resto cada obra de cada autor é o que é e fala por si mais ou menos ao coração de uns que ao de outros e é nesse espaço de subjectividade que as coisas funcionam e assim é preciso assumi-las. Até porque em obras desta natureza não há espaço para jogos de interesses. São, portanto, só o que são…

Obrigada pelo incentivo na tua espera por próximos trabalhos. Acontecerão a seu tempo.

O meu beijo sempre escrevendo o livro que é a nossa vida.

mariabesuga disse...

RASKÓLHNIKOV
(difícil escrever este seu nome de blog. Cê gosta de complicar!!!...)

Ricardo você é um mimo com suas palavras de agrado.
As palavras todas deste livro podem perfeitamente chegar ao outro lado do atlântico, pois podem. Mande seu endereço para meu email e eu envio.

Um beijo já vai a caminho
Obrigada pelas considerações a nós dois.

mariabesuga disse...

BERRO D’ÁGUA

Cris

Estranho essa sua afirmação pois no Brasil há poetas extraordinários. Tenho aqui na minha mesa de trabalho Manuel Bandeira que ando a reler e há tantos. Cecília Meireles, Vinícius, Quintana, Melo Neto, Drummond de Andrade… são os que me lembro de imediato.

Aqui há de facto uma tradição de poetas. Há uma vertente muito muito importante na área da poesia que é a poesia popular. Há nas terras do interior homens e mulheres que dizem de cor os poemas que lhes nascem da Alma e nunca foram escritos. Eles sabem-nos de sempre e dizem-nos a qualquer momento. São parte do ser humano que eles próprios são. Aliás as pessoas “da terra” têm essas particularidade de lhe nascer arte dos sentidos. Não só aqui em Portugal.

Os meus são dos sentidos também e traduzem estados de espíritos de um momento…

Obrigada por sua apreciação
Um beijo deste para esse lado do oceano.

mariabesuga disse...

VT

Muito obrigada pelas palavras que assim se enleiam nas minhas.

Um beijo

mariabesuga disse...

ANDRADARTE

Todos nós dominamos um pouco as palavras com que dizemos os sentidos, José.

Obrigada pelas suas, para mim. Aliás, a família agradece.

Um beijo

mariabesuga disse...

LILIANA

Não estou à espera de referências da crítica, Liliana. Só referi para que as pessoas soubessem com o que contavam…

E pode deixar que eu tomo conta desta minha alma de poetisa que sempre tratará bem as palavras que a sensibilidade lhe for ditando.

Muito obrigada pela sua força. Assim nos construímos…

Beijinho

mariabesuga disse...

MANUEL MARQUES

Muito agradeço pela luz nas suas palavras.

Beijinho

mariabesuga disse...

ANA OLIVEIRA

Ora Ana… lá lhe falta alguma coisa para expressar a sensibilidade que é a sua e com as palavras… assim… tocou a minha…
Foi mesmo para falar de mim, dos meus sentidos, este primeiro livro. Foi preciso. Nos seguintes já nunca é só de mim…

Obrigada
Beijinho grande

mariabesuga disse...

PAULA RAPOSO

Chegaram os teus milhões de beijos, Paula. Trouxeram o teu mimo… Obrigada!!!...

Beijinhos, muitos, meus, para ti.

mariabesuga disse...

GRAÇA PEREIRA

Bem Graça só posso agradecer-Te pelo impacto das tuas palavras em mim.
Um livro é um pouco um filho sim. Parimo-lo e vemo-lo ir à própria vida… É.
E os sentidos da Amizade são a forma como gerimos o nosso estar ao sol na partilha com os outros. Os outros fazem tão parte do meu eu como eu própria. É nessa partilha que cresço… na interacção, no diálogo...

Um beijinho e o meu obrigada, Graça

mariabesuga disse...

CANTO DA CARLOTA

Assim não vale, Carla. Assim quem fica comovida sou eu. Tal qual fiquei no dia da apresentação deste livro que foi lá no Lavre. Foi tão bonito!!!... Ainda te hei-de ter numa apresentação de um dos meus livros próximos.

Beijinhos meus e Obrigada por ti, assim, nua de sentimentos como eu.

mariabesuga disse...

JE VOIS LA VIE EN VERT

Pois Verdinha o mais importante é a arte que se tem no coração que essa temos ou não temos e ponto final. A outra ainda podemos aprender umas coisas se quisermos…

Obrigada
Beijinhos para ti, verdinhos...

mariabesuga disse...

CANDUXA

A capa é linda sim e lá dentro sou eu a nu nas palavras da Alma… a minha.

Obrigada por esse abraço que retribuo.

mariabesuga disse...

A SENHORA

É muito bom partilhar o silêncio. Há momentos mágicos dentro dos silêncios. Melhor se partilhados… se entendidos…

Obrigada
Beijinhos

mariabesuga disse...

WALLPER.LIMA

É da palavra mais pura que nos nasce o poema. É nos sentidos mais doces que nos nasce a palavra poema. O poema só pode nascer da verdade que somoa…

Obrigada e beijocas também.

mfc disse...

Desnudarmo-nos é privilégio dos fortes.
Parabéns por essa forma livre e aberta de dizeres o que sentes e como és.

mariabesuga disse...

PIEDADE ARAÚJO SOL

A família agradece, Piedade.

E nós não pertencemos à família “Minerva”? não estivemos juntas no último volume “DA POESIA”?!...
Já esse foi gratificante. Então este primeiro sozinha foi muito bom, muito bonito… outros virão…

Obrigada e beijinhos.

mariabesuga disse...

JOSÉ RIBEIRO MARTO

Um livro é mesmo um mundo, José. Um livro nosso é um pouquinho do nosso mundo mais ou menos interior conforme é mais ou menos intimista. Este é mais…

Obrigada pelo carinho
Um abraço

Osvaldo disse...

Maria;

Ando um pouco atrasado na visita aos meus amigos...

Fico feliz com este teu sentimento sobre algo que antes de pertencer a quem o lê, é antes de tudo, teu, só teu.

Também citas duas pessoas por quem tenho muito apreço; Manuel Alegre que tive o prazer de conhecer no Salon du Livre de Genève e que em 5 minutos de conversa se mostrou o homem maravilhoso que é. Também Saramago que aqui conheci numa palestra na Faculdade de Letras logo após ter recebido o Prémio Nobel e que guardo uma dedicatória especial que ele me ofereceu.

Bjs, Maria.
Osvaldo

mariabesuga disse...

SANGUE É VIDA QUE SE DÁ

Rosa minha irmã Rosa, como diria a Alice Vieira… Eu não poderia ter decidido o teu nome porque nasci já eras mulher mas não teria escolhido melhor…

De puros sentimentos temos na Alma enraizados os que somos, os que nos definem…

Lembras-te do dia da apresentação deste livro?... O dia do aniversário da tua filha que ainda hoje fala da frustração de quase ninguém perceber que também era o dela aquela festa. Fez este ano dez anos. Foi um dia bonito e agradeço-to também.

De resto… obrigada por TI.
Beijinhos meus.

mariabesuga disse...

MFC

Desnudarmo-nos é seguramente um privilégio. Se só dos fortes já não sei. Mas concordo que pode ser.
Eu gosto do meu Ser assim, tão transparente quanto consigo na relação com as palavras e com a vida…

Obrigada “pé de meia”

mariabesuga disse...

OSVALDO

Atrasado?!... Nunca Osvaldo. As visitas são para cumprir quando a disponibilidade deixa e os Amigos sabem disso. Pensamos sempre uns nos outros, acredito, mas nem sempre conseguimos estar quando queremos. Então temos de fazer certo o tempo em que podemos…

Pois ambos admiramos duas pessoas maravilhosas, interessantes… grandes Homens. Sou suspeita em relação ao Saramago porque é Amizade do coração, do convívio... Ao Manuel Alegre conheço pessoalmente mas de forma menos íntima.

Quanto ao livro, não é meu que depois de público deixa de pertencer-me. É como os filhos quase depois de paridos… Mas será sempre especial por ter sido o primeiro, por ser mais de mim, mais do meu lado de dentro.

Obrigada Osvaldo
Beijinhos para ti e para a tua Ana
E desejos de boa estadia em Portugal.

Filoxera disse...

Parabéns. Não tenho sido assídua, mas gosto do que leio.
Um beijo.

Canto da Carlota disse...

Maria

Bem podes contar comigo para a próxima apresentação de um dos teus livros!!!

Será com o maior prazer... fico muito lisonjeada pelo convite!! Bjk

Graça Pires disse...

Parabéns. Gostei do que li. Que o livro tenha muito sucesso.
Beijos.

Laura disse...

Menina; quanto sentimento naquela escrita, quanta veia poética não nasce em ti e nascerá sempre, pois o poeta está sempre a destilar poesia, a isso os sentidos nos induzam!...

Gostei do desenho feito pela patixa, mas que lindo, a pariga sai á mãe, já se vê, uma familia de puros artistas!...

Gostei da spoesias, lindas, lindas...
Assim fico a conhece rum pouquinho mais de ti, da mulher, da poetisa...
beijinhos e abraços da, laura.

Pascoalita disse...

Li e reli o poema "Entendimento Primeiro",
vi e emocionei-me com o seu conteúdo e com a OBRA, a Deusa da Fertilidade.

Na impossibilidade de deixar ali o meu comentário, espero que não te importes que o faça aqui.

Obrigada pelas tuas palavras no meu espaço. Não contive uma gargalhada com o modo como definiste a relação mãe/filhos eheheh gosto muito de te ler e vou tentar seguir-te, pois parece-me ter muito a aprender por aqui.

Deixo um beijo da
Pascoalit/Mizé

Carlos Albuquerque disse...

Venho agradecer a visita ao meu blog e a decisão de o seguir. Pelo que vi e li aqui no seu, passarei a segui-lo também.
Quanto ao seu livro, e não querendo abusar da hospitalidade, siga a sugestão de Saramago, olhe por trás as aparências do mundo. Não ligue à critica ou à ausência dela. Um livro nosso é uma parte de nós, um pedaço da alma que partilhamos. Tenho um publicado, o segundo a acabar, o terceiro a nascer. Mais do que os elogios ou edições feitas ao publicado o que ainda hoje me seduz é o amor com que lhe pego, o carinho com que o leio, a ternura com que o fecho.
Gostaria de ler o seu se me disser onde adquiri-lo. A poesia fascina-me, embora me falte o talento para a escrever.
O desenho da capa (de sua filha), é lindíssimo.
Um abraço e bjs

Laura disse...

É que eu ouço o meu silêncio, dizes tu, também eu minha querida, e consigo também estar no meio da maior confusão (embora agora com o surfista fique meia atordoada com tanto barulho)...mas, é isso mesmo, dentro do nosso silêncio, não há quem consiga interromper, o som dos nossos pensamentos, muito lindo...
Beijinho a tu e já pedi ao meu administrador do blogue que vos linkasse também, e, já está..
laura.

Fatima disse...

Que prazer receber sua visita e mais ainda ter vc acompanhado meu blog.
Muito especial seu blog!
Bjs.

cristinasiqueira disse...

Oi querida Maria,

Este teu espaço é de um relevo artístico e poético palpitante.Além de escrever poemas,é viver a poesia em traços que veem de longe,tradições que o tempo traz e alma livre expressa.
Terei imenso prazer em recebê-la no blog

www.cristinasiqueira.blogspot.com
e ler seu comentário.
Desejo-lhe sucesso com a certeza que o terá pela qualidade do trabalho publicado.

Com carinho,

Cris

EDUARDO POISL disse...

Parabéns menina.

Pensamos demasiadamente
Sentimos muito pouco
Necessitamos mais de humildade
Que de máquinas.
Mais de bondade e ternura
Que de inteligência.
Sem isso,
A vida se tornará violenta e
Tudo se perderá.
(Charles Chaplin)

Hoje passando para desejar um final de semana com muito amor e carinho.
Abraços do amigo Eduardo Poisl.

AFRICA EM POESIA disse...

Lindo o teu livro...
um beijo e saudades...

Maria João disse...

Grande é aquele que escolhe as palavras para se desnudar, partilhando assim a sua verdade, numa espécie de abraço da alma.
Continuarei por aqui, a visitá-la, como uma borboleta que necessita de alimento, antes da metamorfose..

Obrigada pelas palavras, sempre!

Zé do Cão disse...

Beijocas. Obrigado pela visita ao meu quintal. A horta está um bocado queimada do sol e as alfaias desarrumadas. Agora, até tenho toupeiras.
E a barraca do "canito", está numa desgraça...

Beijocas e vou voltar sempre

Multiolhares disse...

A capa do livro feito pela tua filha ficou delicioso e bem conjugado com o titulo,penso que o mais importante é o que se escreve ser feito com sentimento, pois aí fica retratado um pouco do que se é ou do que se pretende transmitir, hoje em dia existem muitos livros de todo o tipo no mercado mas sabemos que nem sempre os que são publicitados são os que tem conteúdo valido.
beijinhos

Eduardo Aleixo disse...

Maria ( seja-me permitido o tratamenton ). Vim aqui agradecer o interesse que tem manifestado por algumas postagens minhas. E fiquei agradavelmente surpreendido com tudo o que li. Obrigado pela partilha aberta da sua sensibilidade. É assim que concebo a arte, a poesia, a literatura, a maneira de passar pelo mundo. Apreciei principalmente que aprecie também aquilo que mais aprecio: o grande silêncio do Mundo. E gostei da imagem da amizade crescendo como as sombras das azinheiras do chão onde nasci, leitos quentes e lassos por onde o tempo perpassa sem que pareça existir. E identifiquei-me com a nudez dos sentimentos, dos sentidos, da voz pura e das águas limpas que dão o tom ao rosto que me deeu um um pouco a conhecer, mas que a minha alma identificou agradavelmente sem engano...Obrigado.

dade amorim disse...

Uma preciosidade, Maria. Parabéns pelo livro - altamente bem recomendado, por sinal - e pela capa feita por sua filha, um belo desenho.

Beijos e uma ótima semana.

Pena disse...

Estimada Amiga:
Os meus sinceros parabéns pela maravilhosa e fabulosa escritora que é.
Parabéns pelo Livro que "construiu" com talento e dedicação.
Beijinhos amigos de respeito, estima e cordialidade.
Sempre a admirá-la

pena

elvira carvalho disse...

Adoro poesia, mas porque me falta engenho e arte para comentar poemas, e porque acho muito difícil comentar, (para mim não é o mesmo comentar um poema, ou uma foro ou texto em prosa) e porque muitas vezes não quero comentar com um simples "gostei muito", ou "muito bonito" muitas vezes leio e saio sem deixar comentário.
Gostei de saber que tem um livro publicado. E como gostei do que li e fiquei com vontade de ler mais, peço-lhe que me informe se eu o encontro na Bertrand, (que há uma no fórum do Barreiro) ou se lhe lhe peço directamente a si, e nesse caso mandará para o meu email o seu nib e a importância que devo depositar.
Um abraço e uma boa semana

Ricardo Calmon disse...

Com vagar e ternura,cada dia que passa,folheio voce,por enquanto só eletronicamente,cada vez gosto mais,poeta mulher,escriba de Deus!

Bzu mãos suas!

Viva Vida!

belinha disse...

Olá Maria!Já comentou por duas vezes os meus blogues e eu ainda não tinha vindo da nota disso!Então já esteve na India!Eu não fui mais longe do que Istambul,onde gostava de voltar.Foi o local culturalmente mais contrastante que visitei,os restantes foram sempre mais europeus ou menos orientais. A India pude conhecê-la um pouco melhor num documentário que vi há uns tempos no 2º canal.Por acaso fiquei fascinada com a diversidade cultural do território e riqueza histórica.Nunca senti vontade de visitar,acho que o filme Salaam Bombai me influenciou negativamente quanto a isso!Mas é um disparate.Quem me dera poder.Viajar é a melhor forma que conheço de gastar dinheiro.Sempre digo isso.O quanto nos enriquece só o percebemos depois de já não podermos fazê-lo.Pois este chá foi uma surpresa mas ainda mais o que descobri sobre o fruto!
Acerca das fotos do Porto,ainda tenho mais algumas para publicar.Agradeço as suas visitas e simpáticos comentários.

Carmem disse...

Maria!...
Coisa linda!!!...
te desejo muito sucesso!...
Parabéns!!!

Agradecida pelo "prêmio"...Respondi teu email...

Beijo

Fa menor disse...

Muito parabéns!
E que tenha o reconhecimento que merece!

Beijinhos

VT disse...

Deixei uma pequena lembrança lá no meu pequeno espaço "Heavenly", como sinal do meu apreço pelo seu blogue.
Bj :-)
VT

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Besuguita

Há uns largos dias que aqui não vinha, apesar das tuas informações imeiladas, que muito te agradeço. Mas, tenho andado por... Nada de myntyras, nada de pseudo-justificações. Não tenho vindo e ponto. Não chego para as encomendas. É a pdi...

Gostei e gosto da poesia que fazes. Aqui está um exemplo excelente - e já com dez anitos. Tens de continuar, senão estrafego-te. E, dando o dito por não dito, manda mais uns versos para a Travessa. Obrigado.

Sil us plau, transmite ao AntR que me desculpe por também não ir com regularidade ao refúgio dele. Basta de razões, sem razão, aliás. Promessas de que sim - não faço. O pagador de promessas era o outro, brasuca...

Qjs e abs ao Or

PS (continuo a ser, mas aqui é Post Scriptum) - Tens cumentadores (com o) às toneladas. Se quiseres ter a bondeza, diz-lhes para visitarem a Travessa. A Cumixão agradexe.

Sofá Amarelo disse...

Um livro é um pedaço da alma de quem o escreve... e ter a coragem de o partilhar só vem demonstrar que quem o escreve tem uma alma enorme... Obrigado pela dádiva!

Muitos beijinhos. Um bom Domingo!

maré disse...

que importa que me não oiçam

eu sou do coração os seus ouvidos.


______

um beijo Poeta

JOSÉ RIBEIRO MARTO disse...

Tem no pedir a lua , um prémio para si ... Passe por lá quando puder !
Abraço
_________ JRMarto

Ricardo Calmon disse...

Amada Maria Besuga,lindô o mimo a mim concedido,merci,sensibilidade sua ,me enternece!

Bzu!

Viva Vida!

Maria Clarinda disse...

Maravilha que deve ser o teu livro, com estes poemas que nos permitiste ler aqui!!!
Adorei.
Parabéns à tua filha pelo belo desenho!
Jinhos mtos

Anónimo disse...

olá Belmira, gostei muito da capa do seu livro e dos poemas também, quem sabe um dia destes não mo empresta para o ler... quem sabe uma outra forma de me abstrair dos problemas... Beijinhos Mãe do David

BC disse...

Um livro é um pouco de nós que vai ficar registado para sempre e que ficará para as gerações que se seguem , palavras que não serão apagadas pelo tempo.
Beijo
Isabel

Tais Luso de Carvalho disse...

Querida Maria, quero cumprimentá-la pelo livro e desejar um caminho de muito sucesso!

Gostei quando falas do silêncio; e lembrei-me que são poucos os que hoje em dia gostam de silêncio. O silêncio nos permite a estados de reflexão, nada interfere. Gosto de não ouvir nada, como gosto de clássicos; não sou adepta a barulhos.

Sobre a solidão... Artur da Távola disse que ‘quem tem vida interior jamais padecerá de solidão’! É verdade.

Tua sensibilidade nos leva a reflexões, tenho lido, também, teus comentários nas postagens de Antonior. Gosto muito, aliás já falei sobre isso.

E parabéns, também, à filha! Dá pra ver por onde anda a família...

Bjs, amiga.
Tais luso

Daniel Hiver disse...

Quantas vezes, nos últimos tempos, tenho estado completamente, acompanhado de uma espécie de solidão que provo e usufruo em alto estilo.
Significativos versos!
Daniel Hiver

jorge vicente disse...

ainda há esse livro, cara maria besuga?

gostava bastante de comprar o livro...

um grande abraço
jorge vicente

Laura disse...

Ah, o que eu queria memso, mas nem pelo correio se manda, é o Kefir, já tive, depois desisti e, acabei com ele, agora queria d enovo...um dia se ai for, trago do teu, um pouco..Beijinhos da laura..

Lídia Borges disse...

Um livro é sempre uma meta para quem escreve, mas de facto é mínima a atenção das editoras para com a poesia. Dizem que não vende e não vendendo não se desenvolve o gosto por ela, nos novos leitores.

Gosto muito do que escreve!

Oliver Pickwick disse...

Cerca-se de poetas das palavras e das artes, conforme a capa do seu primeiro livro; o retrato do seu avatar; além do texto introdutório de um escritor... digamos... com um "pouco" de experiência. a conclusão é que o silêncio é muito mais que a simples ausência dos sons.
Obrigado pela presença lá no condado.
Um abraço!

*Lisa_B* disse...

Querida amiga, agora que voltei espero repor a leitura de tudo que aqui tens em dia.
Parabéns !!! Mas eu sei que és mulher capaz de todas as artes e magia de encantar.
Estive sem elem e internet mas já está em ordem agora.
Perdi um pouco a memoria mas nada de muito grave preciso de tempo para recuperar aos poucos.
Beijinhos lindo coração.

mariabesuga disse...

FILOXERA

Não precisa “picar o ponto”… basta a atenção com que não deixas de passar quando podes.
Eu lido com este espaço de forma descontraída não “exigindo” o que eu própria não posso dar porque nem sempre o tempo nos permite corresponder da mesma forma.

Basta que estamos atentos uns aos outros para não perdermos o que gostamos na partilha dos sentidos. No que a mim respeita… porque os espaços que visito é por gosto.

Espero-te sempre que a disponibilidade dite um tempinho livre.

Beijinho

mariabesuga disse...

CANTO DA CARLOTA

Pois a seu tempo o convite chegará e já conto com uma presença. Outras haverá certamente que me farão feliz pela partilha…

Bjinho pa ti

mariabesuga disse...

GRAÇA PIRES

Graça, este livro já teve o sucesso que havia de lhe caber em sorte. É de 1999 e 10 anos depois resta-lhe a importância dentro do meu coração pelo facto de ter sido o primeiro.
Agradeço o desejo de sucesso e guardo-o para os que se seguirem 

Obrigada
Beijinho

mariabesuga disse...

LAURA

O desenho feito pela Patixa foi como já disse oferecido por ela para capa do livro numa associação com o nome que tem a ver com pôr os meus sentidos e sentimentos a nu, precisamente. É uma associação feliz.

Principalmente neste livro os poemas são mesmo para se ficar a conhecer mais de mim pois posto a nu o que sou o sentido só poderia ser esse… para quem assim o entender, claro.

Beijinhos pa ti.

mariabesuga disse...

PASCOALITA

Mizé

Desculpa não poderes deixar comentário onde terias preferido por ter a ver… mas podes sempre comentar adiante o que te apetecer, claro.

O poema tem a ver com o sentido de ser mãe por isso te emocionaste, tu que o és com os sentidos também.

Obrigada pela tua presença e palas palavras.

Ah o que disse a respeito de como nos relacionamos com os filhos também me faz rir a mim ainda cada vez que penso as coisas assim. Excepto quando ao arrependermo-nos de não os termos comido já é tarde demais…

Espero-te sempre que te apeteça e possas. O que aprendemos é para a troca. Sempre.

Beijinho a ti também.

mariabesuga disse...

CARLOS ALBUQUERQUE

Agradeço a sua sugestão, Carlos. Tenho seguido essas indicações do Saramago e até por fazer parte do meu instinto procurar sempre mais além o sentido das coisas.

Em cada livro, cada pedaço de mim, da minha alma, dou o sentir o saber a meu jeito, a ternura e carinho com que partilho e troco palavras sentidas. Como aqui neste momento em conversa consigo.

“A poesia fascina-me” diz o Carlos. A mim também, de sempre. É dos tipos de escrita que mais gosto de ler pelo que me faz sentir na relação com as palavras. Gosto de ler em voz alta para me ouvir e sentir… Enfim… parecem sentires a mais mas se deles me construo…

Obrigada pelas suas considerações a respeito do desenho da capa e das minhas palavras.

BeijAbraço

mariabesuga disse...

LAURA

Pois Laurinha o silêncio ouve-se sim. Tu sabes melhor que eu que o ouves seguramente muito melhor. O surfista deve dificultar um cadinho essa percepção mas desliga-o de vez em quando. Além de que deves treiná-lo para estando ligado te deixar continuar a ouvir o silêncio.

Bjinho a tu (como tu dizes)

mariabesuga disse...

FÁTIMA

Agora apresentações feitas visitemo-nos com a regularidade possível. Eu por mim faço conta de estar atenta ao que se passa lá no seu blog.

Bjinho

mariabesuga disse...

CRISTINA SIQUEIRA

Pois Cristina eu vivo a poesia como a vida, com os sentidos todos. Só assim concebo a existência em pleno.

Tenho visitado seu espaço mas muito rápido. Hei-de ir com calma.

Agradeço o sentido das suas palavras para mim.

Meu carinho também
Um beijinho

mariabesuga disse...

EDUARDO POIS

Fantásticas suas escolhas para nos saudar. Agradeço e retribuo o abraço e o carinho com que visita este meu espaço.

mariabesuga disse...

ÁFRICA EM POESIA

Obrigada Lili

Um beijinho também e votos de tudo melhor por aí.

mariabesuga disse...

MARIA JOÃO

Feliz com a sua visita e o propósito de não deixar de estar atenta aos meus escritos por aqui.

De palavras podemos vestir-nos despindo a alma para nos fazermos entender.

Um beijinho grande pelo entendimento através das palavras.

mariabesuga disse...

ZÉ DO CÃO

Volta sempre Zé que este espaço espera-te. E aprecia os novos escritos que forem surgindo. Senta-te no fresquinho da horta e lê.

Beijinhos para ti
(vê se arranjas a barraca que o desgraçado do canito a dormir ao relento não se deve dar muito bem…)

mariabesuga disse...

MULTIOLHARES

Luna obrigada pela apreciação positiva.
Escrever é uma necessidade que compreenderás. Editar, o seguimento natural se para isso surgir oportunidade sempre com o objectivo de passar sentires, os nossos. É da partilha que se tira a compensação…

Beijinhos para ti que seguramente sabes o que sinto da relação com o que escrevo…

mariabesuga disse...

EDUARDO ALEIXO

Está autorizado a tratar-me por Maria. Há lá jeito melhor?!... Não.

Não me agradeça por favor o interesse. Interesso-me pelo que me desperta a atenção porque me faz ganhar alguma coisa de mais ao nível dos sentidos.

Partilhamos a sensibilidade de portas abertas. Que bom saber outros entrando em nosso espaço e gostando do que deixamos ao dispor.

Deixo-me por vezes ficar no silêncio e nele viajo na companhia de quem comigo se identifica pelas palavras. É nelas, nas dos outros, também nas suas, que a inspiração ganha forma e faz soltar as minhas… tantas vezes…

Um abraço de agradecimento pela partilha dos sentires expressos. Os seus pelos meus.

mariabesuga disse...

DADE AMORIM

Obrigada por mim e pela minha filha, pelas palavras de apreço…

Beijinho e desejo de dias felizes.

mariabesuga disse...

PENA

Amigo Pena
Que sensíveis as suas palavras e a apreciação que faz, por elas, ao meu trabalho neste livro.

Beijinhos com a minha estima também e obrigada

mariabesuga disse...

ELVIRA CARVALHO

Também não gosto de entrar em visita aos espaços dos outros e comentar com um simples gosto ou não gosto (que não se diz).
Gosto de entrar e apreciar e ter uma palavra que me há-de sair dos sentidos ou não vale a pena.

Terá oportunidade de ler o livro todo. Não é muito importante. São sentimentos a nu, os meus, que mais não são que os de qualquer mas (d)escritos a meu jeito.

Beijinho Elvira e obrigada.

mariabesuga disse...

RICARDO CALMON

… o vagar e a ternura de que se fazem as coisas bonitas, Ricardo. Os sentidos partilhados assim só nos trazem sentimentos positivos e isso faz-nos bem.

Um abraço e o meu agradecimento pela “ternura sua”.

mariabesuga disse...

BELINHA

Não se preocupe Belinha por eu ter comentado e não ter tido tão logo a sua “resposta”. Precisamos estar neste mundo em jeito descontraído que nunca obrigados ao que quer que seja que não passe por aquilo para que nos der o tempo e a vontade.

Estive na Índia sim já por duas vezes e voltaria. Viajar é mesmo uma das melhores formas de, gastando dinheiro pois de outra forma não se consegue, conhecer o que de diferente e nem tanto existe pelo mundo. Viajar é fantástico sim.
O facto de ter estado duas vezes na Índia não quer dizer que tenha viajado muito mas circunstancialmente calhou repetir o mesmo país. Primeiro Bombaim e Goa depois Nova Deli e Goa de novo. E quando digo que repetiria era numa ida a Goa que o faria sem dúvida. Um dia será quem sabe. Não tão já seguramente.

Voltarei para ver as suas novas fotos pois também é uma boa forma de apreciar lugares que hipoteticamente eu ainda não tenha visitado e me dê a conhecer na forma do seu olhar…

mariabesuga disse...

CARMEN

Obrigada Cármen. Mesmo que não se cumpram seus desejos de tanto sucesso assim vale pela sua força nesse sentido e desejo.

Beijinho

mariabesuga disse...

FÁ MENOR

O reconhecimento está em palavras de incentivo como as suas. Não precisa muito mais.

Beijinho

mariabesuga disse...

VT

Como respondo tanto tempo depois já está recebida a lembrança e seguimento dado à “exigência” que ela implica…
O meu agradecimento vai ao encontro do seu apreço.
Um beijinho, Vasco.

mariabesuga disse...

HENRIQUE ANTUNES FERREIRA

Grande chefe lá da travessa

Pois nunca se sinta obrigado a ir ou vir onde não lhe dá o tempo ou o querer. Descontraídos, Chefe… Descontraídos precisamos sentir-nos ou esta interacção não funciona. As informações para o “imilio” mais não são que informações mesmo não implicando qualquer obrigação. Não daqui.

Quanto às poesias, eu continuo sim. Aliás já continuei e teremos mais continuação em pouco tempo. A pouco e pouco vou construindo o meu percurso. Devagarinho que sou Alentejana. ;)

Versos para a Travessa… pois estamos conversados a respeito e precisamente por respeito a despeito de reacções externas…

Os meus comentadores são os que vão entrando… gostando e sentindo vontade de ficar por aqui comigo. Eles irão daqui para onde sentirem vontade também sem que seja preciso eu dizer…

Abreijos chefe Ferreira lá da Travessa do mesmo que não outro.
Os meus respeitos.

mariabesuga disse...

SOFÁ AMARELO

Alexandre a minha alma é tão grande quanto as palavras em que se traduz mas isso não é ser melhor nem pior… é ser assim deste jeito que eu sou e que me satisfaz porque em bem e respeito para com os outros de alma igualmente grande em alguns casos em partilha de sentidos com a minha. É tudo que desejo.

Obrigada pelas tuas palavras e pelos teus beijinhos que retribuo assim como o desejo de bom Domingo mas o de amanhã uma semana depois do que me desejaste a mim.

mariabesuga disse...

MARÉ

O meu beijo também…

Obrigada pelas palavras ao coração.

mariabesuga disse...

JOSÉ RIBEIRO MARTO

Já recebido o prémio a passado adiante como convém.

O meu obrigada e o meu abraço sentidos.

mariabesuga disse...

RICARDO CALMON

Sempre tão ternura as suas palavras. Eu é que agradeço sempre meu amigo. Até por gostar tanto de girassóis.

Viva a vida pois.

mariabesuga disse...

MARIA CLARINDA

Obrigada pela manifestação de apreço Maria Clarinda. O desenho da minha filha foi-me oferecido para capa do livro e funcionou como ligação feliz ao título.

Obrigada
Beijinho meu.

mariabesuga disse...

Anónimo
Ou seja
CONCEIÇÃO (mãe do David)

Há-de ler o meu livro um dia destes Conceição e há-de identificar-se nalguns poemas. Aliás há-de ler os dois que já editei e os do segundo levá-la-ão a passear pelo Alentejo pois a esse espaço respeitam. Servirão os segundos para descontrair um pouco sim…

Um beijinho grande e um “olá” ao David.

mariabesuga disse...

BC

Um livro é o que de nós nasce em palavras paridas dos sentidos que perdurarão… os sentidos e as palavras que lhes dão vida…

Obrigada Isabel
Um beijinho

mariabesuga disse...

TAÍS LUSO DE CARVALHO

Muito obrigada Tais pela apreciação nas suas palavras.

De facto Tais, não padeço de solidão. Não me lembro nunca de me ter acontecido nem quando menina pois já aí eu gostava de ficar no meu silêncio, nas minhas viagens por dentro de mim. Só o silêncio nos permite tais estados de alma… Eu gosto disso e preciso até.

Os meus comentários nas postagens de Antonior, Tais mais não são que o resultado da vivência completa. Entendo-os, ao lê-los uns dias depois de escritos, um pouco como o seguimento da própria postagem. Pretensão minha.

Um beijo de maior agradecimento aqui deste lado do grande oceano que nos separa que os sentidos, esses ligam-nos.

Agradeço também pelo que diz a propósito do desenho da minha filha.

mariabesuga disse...

DANIEL HIVER

Quantas vezes Daniel não se está em solidão não estando sozinho?... Eu gosto de sentir esse estado em que estou só dentro de mim não me deixando invadir…

Obrigada por gostar dos versos
Um abraço

mariabesuga disse...

JORGE VICENTE

Ainda há este livro sim Jorge. Vou fazer informação na coluna lateral para quem quiser adquiri-lo e ao que saiu depois.

Obrigada pelo interesse
O meu abraço.

mariabesuga disse...

LAURA

Quem disse que nem por correio se manda kefir minha menina?!... Claro que se manda sim é só querer. Vou tratar do teu caso que kefir faz muito bem. Assim quando cá vieres já estás a usufruir dos benefícios do dito. Não precisamos fazer uma coisa depender da outra.

Beijinhos meus para ti.

mariabesuga disse...

LÍDIA BORGES

Apesar da não atenção de quem deveria vamos remando contar a maré e de alguma maneira pondo cá fora alguns trabalhos.

A questão é que não se vende mas se não se publica nem se divulga…

É uma luta mas vai-se fazendo um pouquinho de cada vez.

Beijinho
Obrigada

mariabesuga disse...

OLIVER PICKWICK

Ah seguramente o silêncio é muito mais que a simples ausência dos sons. É um estado interior que me faz muito bem…

Não me agradeça a presença lá no condado. Vou voltar.
O meu abraço.

Je Vois la Vie en Vert disse...

Querida Amiga Besuguinha,

Porque me pedir desculpa por me oferecer versos saindo espontaneamente ?
Adorei ! Aliás adoro surpresas e ao longo do dia tenho recebido muitas !

Muito obrigada pelas tuas encantadores palavras !

Beijinhos verdinhos

Verdinha

Fragmentos Betty Martins disse...

.________querida Maria Besuga




{chegada de férias:=}


...


repleto de arte_______"manifestamente a nu..."

parabéns!_____para a filha também - pelo belíssimo carvão








beijO_______ternO
b.domingo

Sofá Amarelo disse...

Muitos beijinhos!!! Um bom Domingo e bons votos!!!

carmen disse...

PARABÉNS pelo blog, vou voltar sempre. Adorei a homenagem ao Eugênio, belíssimo trabalho.
Beijos baianos

mariabesuga disse...

JE VOIS LA VIE EN VERT

Ora Verdinha… foi só uma brincadeira… Quer dizer, brincadeira não que estas coisas de mimos só sendo ao sério e o que te deixei lá no teu espaço foi um mimo espontâneo.

Percebi entretanto que foi um dia feliz de sorriso de orelha a orelha… Bom isso, muito bom.

Beijinhos para ti Verdinha… verdinhos pois então.

mariabesuga disse...

FRAGMENTOS BETTY MARTINS

Betty bem chegada seja e que tenham sido regeneradoras esses dias de descanso. Nem sempre as férias são sinónimo disso.

Obrigada pelas suas palavras que acabam funcionando como incentivo, para mim e pode ser que para a filha que faz tempo que não “pega” nestas coisas…

Beijinho minha querida
Dias felizes

mariabesuga disse...

SOFÁ AMARELO

Alexandre
Os teus desejos de bom Domingo ou quaisquer outros dias bons são sempre bem recebidos e considera-os retribuídos por favor.

Quanto a bons votos… seguramente. ;)

Beijinhos pa ti.

mariabesuga disse...

CARMEN

Ah Cármen… beijos portugueses para você e volte sempre que possa sim. Obrigada.
Serão diferente os beijos daí para cá e vice versa?!...

mariabesuga disse...

LISA B

Minha querida Lisa
Recupera o quanto puderes e volta aqui sempre que o tempo e todas as circunstâncias o permitam.
De resto foi bom receber a tua visita porque é bom saber-te de volta e com vontade de recuperar mesmo que como dizes… aos poucos.
Estamos aqui Lisa. Façamos da nossa arte a magia que nos permita ir colmatando algumas lacunas que a vida nos vai deixando por preencher.

Abraço e beijinho meu

mariabesuga disse...

LISA B

O teu comentário entrou e ficou "pendurado" na moderação que é uma chatice que não consigo contornar. Preciso para minha salvaguarda manter as coisas assim mas de quando em vez acontece uma situação assim e fico chateada. Mas como também de quando em vez dou uma vista de olhos nos que ficam sem ser aceites acabo por repor a normalidade.

Desculpa porque só hoje assumi o teu comentário e te dei resposta.

Beijinho grande a ti.