.

.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Soneto Solidário


(Quando da comemoração dos 11 anos de existência e 6 de legalização da "Associação de Dadores Benévolos de Sangue do Pinhal Novo" enviei este soneto que fiz de propósito para o efeito e ofereci à minha irmã Rosa Besuga Ricardo na qualidade de presidente da dita associação que as minhas palavras homenageiam.)

Soneto Solidário

O sentido é ser solidário
o conceito é partilhar
em cada gota de sangue
sinais de vida a passar


Que passam de ti para mim
De mim para outro tal
É só um gesto, um momento
Mas de importância vital

Em cada gota de sangue
outra tal gota de Amor
partilha na dádiva consentida.

Ser solidário, ser dador
saber ser preciso dar de si
e dar-se num pouco de vida.


Neste soneto parabenizo, nesta, todas as Associações que, nesta mesma linha de intenção, se dedicam a fazer a ponte entre a necessidade de cada cidadão e o colmatar dessa necessidade prevendo-a e fazendo que seja minorada.

Bendigo o esforço de quem se dedica a dar, a incentivar sensibilizando consciências conseguindo cumprir, no resultado, o objectivo primeiro de cada cidadão solidário que é dar de si ao outro, neste caso em gotas de sangue, a partilha da vida.

Eu agradeço, renovo os parabéns e deixo um abraço solidário.
Maria Belmira Alves Besuga
12 de Setembro de 2009

49 comentários:

antonior disse...

É belo este soneto solidário em que se troca horror por amor, em que o sangue em vez de derramado é dado. Em que se trocam as fotos e os cabeçalhos dos jornais, as ensanguentadas imagens de televisão com ódio e agressão, pelo sentir, em palavras, que dá à solidariedade expressão.

As minhas saudações cheias, cheias de respeito, admiração e amizade por que dá, sem querer em troca e por quem incentiva e ajuda a dar, a isso dedicando parte da vida, sem mais querer que a consciência do bem que faz.

Para a autora do soneto o meu beijo aqui, da cadeira ao lado.

Para os heróis que dão e ajudam a dar, o meu abraço largo, mas justo.

elvira carvalho disse...

Muito bonito o soneto. Durante largos anos dei sangue no hospital do Barreiro regularmente de 6 em 6 meses. Eu e o marido. Em 1993 o marido ficou diabético e deixou de poder dar sangue. Dois anos mais tarde, fiquei hipertensa e o médico disse que tinha que deixar de dar sangue.
O filhote de 29 anos é dador desde os 18.
Um abraço e uma boa semana

Sangue é vida que se Dá disse...

Dia de Aniversário ,é sempre um dia feliz,certamente para todos os que por aqui passamos,de facto este foi um dia feliz pois tive a possiblidade de em palavras minhas, e neste lindo soneto,poder agradecer aos Dadores de Sangue,Dadores de Vida,salvam vidas desinteressadamente,são nobres de sentimentos,de acções para com os outros, e isso eu aprecio muito,por isso trabalho por esta causa de facto com muito amôr e carinho por todos, Dadores e receptores.
Muito e muito obrigado por colocares no blog,o soneto que foi muito apreciado e assim continua a ser.
beijinhos a todos .

Carlos Albuquerque disse...

Fui dador até que o paludismo me apanhou, em Angola, se tornou crónico e me inibiu de o continuar a ser. Ainda hoje ele surge, numa mudança mais brusca de estação, ou por qualquer outro motivo que só o plasmodium parasita sabe, e lá apanho com três dias de febres altas só abatidas com doses maciças de resochina.
Faço minhas, uma a uma (seja-me perdoado o abuso), as belas palavras deste soneto, um hino à Solidariedade que tão arredada anda nos tempos que correm!
Um beijo, Maria

Graça Pereira disse...

Minha Querida:
Chega a todos, infelizmente! Tambem eu já tive visitas dessas...mas penso que, só se atiram pedras ás árvores que dão fruto. Conttinuemos pois... Parabens por este soneto cheio de humanidade e amor. Pela solidariedade que devia ser de todos e é masis...dos mesmos!!! Um grande abraço amigo Graça

Maria disse...

Minha querida Girassol:

Dei sangue muitos anos. O meu sangue é muito raro O RH negativo. Curiosamente tem a ver com o factor -rhesus, o macaco de que fala o António.
Cada vez que dou sangue, sinto uma enorme felicidade.
Fiquei triste, porque queria doar medula e já não posso, por causa da idade.
A primeira vez que dei sangue, foi para o meu cunhado e foi directo, veia a veia. A partir daí, sempre que me chamavam do IPO, ia sempre.
Agora a idade e as maleitas, não me deixam fazê-lo com frequência. Mas sempre que alguem precisar, estou pronta.
O teu soneto está lindo.
Afinal, um pouco de sangue que não nos faz falta, pode salvar uma vida.
Beijinhos daqui para aí.

Fatima disse...

Doar sangue é um grande ato de solidariedade.
Já fui doadora.
Bjs.

Mar Arável disse...

Sangue é vida

Quem a partilha é um ser superior

porque solidário

Je Vois la Vie en Vert disse...

Belo soneto acerca desta riqueza que corre nas nossas veias e nós dá vida e que pode tornar-se tristeza quando é derramado por maldade.
A minha admiração para quem prática este gesto de generosidade !

Dei muitas vezes sangue para ser analizado(infelizmente, ainda por cima tirou bastante e deitam fora o resto...) e perguntei várias vezes se eu podia dar sangue, tendo muitas alergias e nunca me deram resposta até que desisti de me deslocar em vão. Tendo um sangue comum, provavelmente não precisavam dele...
Mais uma vez quando me desloquei para ser dadora de medula, recusaram-me por ser "velha".
Sendo voluntária, posso dizer que às vezes colocam "barreiras" sem querer por falta de informação ou será de formação ?

Beijinhos

Verdinha

Paula Raposo disse...

E eu subscrevo...muitos beijos.

Eduardo Aleixo disse...

Eu também sou solidário com as suas palavras solidárias. Dar é amor. E o amor perfeito é incondicional. Gostei do seu poema.
Ahgradeço a sua visita. Que retribuo com muito gosto. Um abraço.

Laura disse...

Ser solidário
É saber amar
É chegar junto de quem sofre
E saber doar
Doar naquilo que puder
Mas doar sempre
E estar presente
na vida de quem sofre
Simplesmente !...


Um beijinho à nina Besuguinha..laura

belinha disse...

Uma associação cheia de mérito!
Venho agradecer o seu comentário sobre a Mafalda.Queria encontrar a boneca que fiz mas nem sei bem onde procurar!Foi o primeiro desenho que recordo ter gostado a sério,antes do Calvin e outros, e ainda hoje gosto imenso.E uma vez li numa entrevista o Quino a dizer que desenhava com esforço e isso,na altura,ajudou-me a continuar a desenhar!A Mafalda é uma beleza!:))

manuel marques disse...

Solidariedade,falar sobre ela é bonito,praticá-la é lindo.

Parabéns querida amiga.

bjos.

belinha disse...

P.S. Já encontrei a Mafaldinha!:)))

oasis dossonhos disse...

Tudo de bom para ti e para os teus. Infelizmente, uma hepatite de há 21 anos impede-me de entrar na roda do Amor e da solidariedade.
Dou sangue de outra maneira: dando-me inteiro, pelas causas mais envolventes, dou a alma, dou o coração, dou a vida.
Beijos
Luís

*Lisa_B* disse...

Linda amiga

lindo o soneto gostei muito sobretudo para a causa que te levou a soltar a tinta da caneta ou pressionar as teclas do PC .
É sempre bom lembrar as pessoas de doarem um pouco de si para os outros.
Falando do poema ficou mesmo a preceito.
Um dia vi na TV uma criança que precisava de medula e fui a correr fazer os testes.
Não deu para essa mas fiquei dadora para outros.
Mas a TV tem um poder crucial para apelar aos corações e pessoas mais "medricas".
Beijinhos

P.S Fiquei muito sensibilizada com o blog da Conceiçao pinceladas p/o David.

Só Eu (Ricardo) disse...

Bom dia Maria.
Lamentavelmente não posso doar o meu sangue (tenho uma protese mitral mecanica...). Quero contudo expressar a minha solidariedade e os desejos que todos os que possam não deixem de dar vida a quem dela precisa.
Parabens pelo teu espaço. Vou continuar a "aparecer" por aqui.
Beijinhos
Ricardo

Maria disse...

Querida Maria:

Envio-te uma coisinha que fiz agora mesmo.

Dar Sangue

Dei sangue e fui eu
Que recebi da vida
A prenda mais querida
Que alguém me deu.

Senti-me no céu
Senti alegria
Por poder um dia
Dar algo de meu.

Foi pouco, um saquinho
De sangue vermelho
E eu vi num espelho
Meu rosto igualzinho.

Eu dei porque quis
E senti-me bem
Pois salvei alguém
E fiquei feliz.

Maria 2009

Beijinho de cá para aí

JOSÉ RIBEIRO MARTO disse...

... sangue quente de vida em dádiva!
Abraço solidário
__________ JRMARTO

Kim disse...

Olha minha querida amiga, apenas tenho dado sangue em casos pontuais. Nem sou dador nem sou medricas. Sou apenas mais um dos acomodados egoístas da vida que às vezes não pensam nos outros.
Penitencio-me!
Beijinho Maribel

Sofá Amarelo disse...

Há muitas maneiras de ser solidário e é importante que cada um personalize a sua. Um poema pode não ter o mesmo efeito de dar sangue mas será com certeza complementar. Tudo o que possamos ofertar de nós em prol dos outros é uma dádiva... para nós e para os outros!

Muitos beijinhos!!!

Graça Pires disse...

Solidariamente belo.
Um beijo.

Malu disse...

Parabéns aos meninossssssssss

Abraço amigo......M@ria

Liliana disse...

O valor da nossa vida mede-se pelo que damos de nós aos que nos rodeiam. Dar o próprio sangue é um acto da mais bela solidariedade e partilha... Lindo soneto!

mariabesuga disse...

ANTONIOR

Juntas às minhas as tuas palavras de solidariedade. Gosto disso. Faz-nos unos em mais uma atitude que tem a ver com o todo que somos em termos de humanidade e não só em nós.

Ambos louvamos este trabalho único de saber passar a vontade/necessidade de dar um bem tão preciso que como ambos também sabemos, porque não esquecemos, ao fazer-nos falta para que se nos mantenha a vida, é precioso.

Eu junto ao teu p meu abraço a quem dá e o nosso obrigada.

A ti o meu agradecimento também e o beijo sempre e de sempre aqui do meu para o teu coração (não deixando de ser da cadeira do lado).

mariabesuga disse...

ELVIRA CARVALHO

Considero que dar sangue até é de certa forma um privilégio. Eu não posso dar e num momento em que precisei percebemos que o meu marido também não podia ser dador. Foi esta associação que homenageio que deu a palavra pelo que me foi preciso.

Obrigada Elvira pela tua experiência.
Um beijinho

mariabesuga disse...

SANGUE É VIDA QUE SE DÁ

Pois minha mana Rosa, o teu trabalho é de louvar e festejar mais um aniversário da associação a que dás do teu tempo em muito trabalho é para ti alegria redobrada que eu sei.
Aqui ficaram os nossos votos de resultados positivos sempre, nesse balanço entra as vidas salvas e a necessidade de lhes dar suporte com as gotas recolhidas de outras vidas que de si dão o pouco que para quem precisa é muito.

Não me agradeças. Farei aqui deste lado o que for preciso no sentido de dar ajuda ao teu trabalho. É compromisso assumido comigo.

Beijinho beijinho
Obrigada a ti pela tua disponibilidade de sempre para com todos.

mariabesuga disse...

CARLOS ALBUQUERQUE

Ter sido dador e obrigado a deixar de ser por uma limitação que tem a ver com uma doença que se sobrepõe deve ser complicado de gerir interiormente por quem tem vontade de dar ou, neste caso, como melhor se diz, doar.

Há quem nunca o tenha sido nem tenha ponderado sê-lo e viva descontraído. São os paradoxos do ser humano. Seres e contra-seres…

Fazer suas as minhas palavras de apreço por quem está num trabalho destes de coração cheio e aberto é a prova de amor de Ser para Ser humano.

Obrigada, Carlos

(Quanto à resochina… levei de cá para tomar ao viajar à Índia mas depressa desisti. Os vómitos e má disposição e dores de cabeça não me deixavam gozar dos dias por lá… pus de parte e correu tudo bem.)

mariabesuga disse...

GRAÇA PEREIRA

Obrigada pelas palavras que abraçam a solidariedade e lhe estendem o significado. Assim todos o entendêssemos. Somos sempre poucos para o muito que é preciso fazer a título da solidariedade e voluntariedade. Somos sempre poucos quando toca a dar porque há sempre tanto quem precise. Já falo a nível mais abrangente, claro.

Beijinho Graça e obrigada.

mariabesuga disse...

MARIA

Minha Amiga Maria

Dar de nós é privilégio dos que sabem ser o Amor o bem maior. E é o bem maior sim… e podemos passá-lo das mais diversas formas. Umas gotas de sangue… um abraço apertado… o respeito que aos outros devemos… umas palavras amigas… um dar de mãos do coração aos sentidos.
Quem não pode dar sangue tem tantas formas de dar Amor.

A respeito da medula, também há pouco tempo eu pretendi ser dadora mas a limitação da idade foi a primeira imposição negativa. Por acaso há mais umas coisinhas de pormenor que são impeditivas…

Beijinhos daqui para aí minha Maria Amiga e aquele nosso abraço que ambas sabemos de sentidos.

mariabesuga disse...

FÁTIMA

Dar de nós é sempre um grande acto de solidariedade. Pena que nem todos o entendam assim e só se lembrem quando precisam…

Beijinho Fátima
e…
Obrigada

mariabesuga disse...

MAR ARÁVEL

Verdade nas palavras aqui expressas. São solidárias da forma que também as palavras podem sê-lo.

Abraço E.Filipe

mariabesuga disse...

JE VOIS LA VIE EN VERT

Verdinha
A tua generosidade revela-se nas tuas palavras de admiração pela dos outros.
Corre-te nas veias um sangue comum como dizes mas nas tuas atitudes não és assim tão comum. Quando te dedicas a práticas que têm a ver com solidariedade para com o outro… tomara fosse uma atitude comum… Portanto, deixa lá que sejas velha para seres dadora de medula que eu também sou… podemos aplicar-nos em prol de outras causas.

Beijinhos para ti
Mais ou menos verdinhos que beijinhos verdinhos nesta altura deve ser mais sinónimo de desmaiados. :)

mariabesuga disse...

PAULA RAPOSO

Subscreveres as minhas palavras poema é dares-lhe mais sentido. Assim o respeito que sinto na relação com as tuas próprias palavras normalmente.

Beijinho de mim para ti, Paula.

mariabesuga disse...

EDUARDO ALEIXO

Pois partilhemos ou juntemos as palavras dando-lhe ainda mais o sentido de ser solidários, todos. Prova de Amor maior, incondicional…

Obrigada Eduardo
Um abraço, o meu.

mariabesuga disse...

LAURA

Laurinha

Ser solidário é isso tudo que estas tuas palavras exprimem mais o que te vai no coração que eu sei e aqui não dizes.

Beijinho de mim nina das résteas.

mariabesuga disse...

BELINHA

Obrigada pelas palavras de apreço para com a associação de que falo. Junto-as às minhas no agradecimento a todas as associações que são solidárias por quem precisa.
…………………
A Mafalda é o máximo de facto. Disse-lhe isso lá no seu espaço. É uma menina sempre irreverente. É e será sempre para nós porque faz parte das nossas memórias.
…………………

Um beijinho
Obrigada

mariabesuga disse...

MANUEL MARQUES

… praticá-la é preciso, Manuel.

Obrigada pelas palavras e pela presença sempre.

Beijinhos

mariabesuga disse...

OASIS DOS SONHOS

Infelizmente que a hepatite te aconteceu e te limitou a atitude de poderes ser dador de sangue mas, sabemos ambos, nada há que te limite a dares-te em todo o teu potencial em benefício de tanta causa, por tanta gente…
Quando se é de e por Amor é-se completo e no teu caso assim fazes os dias dando a Alma, o coração, o carinho e o empenho…

É nessa Atitude perante a vida e os outros que ninguém te pode derrear.

Um beijo grande meu Amigo Luís

mariabesuga disse...

LISA B

Tu sabes bem o quanto são importantes, por tão precisas, atitudes de solidariedade.

A TV tem de facto potencial para fazer “mexer” os corações no sentido de alterar mentalidades levando as pessoas a ser mais solidárias mas tantas vezes isso é só um momento. As pessoas esquecem. É portanto preciso que seja permanente essa atitude de quem tem poder para despertar os sentidos no sentido de fazer vingar uma atitude humana em todos, sempre.

Beijinhos meus a ti minha querida Lisa.

Desejos de felizes o quanto possível os teus dias e sossegados o quanto possível também.

O meu abraço a ti.

mariabesuga disse...

SÓ EU (RICARDO)

Ricardo
A tua expressão de solidariedade diz de ti e da forma como és.
Agradeço as palavras solidárias e de apreço pelo tema e pelo espaço em geral e espero a tua visita sempre que a disponibilidade e avontade te permitam passar por cá.

Beijinhos
Obrigada

mariabesuga disse...

MARIA

… como só tu, Maria.

Muito obrigada e olha que da parte da Associação já me fizeram perceber o interesse por “levarem” este teu poema para fazer passar a palavra. É uma forma de fazer passar a mensagem de solidariedade…

Beijinho a ti minha querida Amiga Maria
Obrigada mais uma vez.

mariabesuga disse...

JOSÉ RIBEIRO MARTO

A vida sempre em solidariedade na partilha com o outro.

Obrigada José por esse abraço solidário e sempre preciso para nos sentirmos em linha directa uns com os outros. Retribuo-o… partilho-o, aliás.

mariabesuga disse...

KIM

Olha meu amigo Kim não seres dador mas teres dado sangue em casos pontuais já quer dizer estares presente e atento quando és solicitado. Isso é bom. Do que vou apreendendo de ti sinto-te um Homem bom e os Homens bons são-no sempre e pelas melhores razões. Acredito-te assim. Não me perguntes porquê que há coisas que não se explicam.

Beijinhos de mim Maribel, pois seja, para ti Kim.

mariabesuga disse...

SOFÁ AMARELO

Há, como bem dizes Alexandre, muitas maneiras de ser solidário. Agora sou eu que faço minhas as tuas palavras que tão bem dizem do que é mais importante em solidariedade. Que cada um dê de si o que tem, do que é, do que for capaz… Essa é a dádiva maior. Sermos nós próprios por nós e pelos outros.

Muitos beijinhos também e um abraço amigo para ti, Alexandre.

mariabesuga disse...

GRAÇA PIRES

As palavras poucas mas não mais que as precisas para dizer do quanto baste.
Ser solidário é preciso!

Beijinho e Obrigada, Graça.

mariabesuga disse...

MALU

Os parabéns aos meninos era no post a seguir mas também são aceites e muito agradecidos aqui. É uma forma de solidariedade e partilha.

Beijinhos e obrigada por ter estado aqui.

mariabesuga disse...

LILIANA

Está tanto nas tuas palavras, Liliana!... O valor da nossa vida mede-se pelo que damos de nós. Verdade!... Tal como no Amor é esse o lema. Dar sem exigir. Se assim fizerem todos os intervenientes funciona. Tu sabes!!!...

Obrigada pelas tuas palavras inteligentes de quem vê o mundo com olhos de ver.

Beijinho.